Ausência do número 24 na camisa da seleção brasileira vira caso de justiça

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Seleção Brasileira é a única da Copa América a não adotar o número 24 na relação de camisas. Tal situação foi motivo de ação judicial do “Grupo Arco Íris de Cidadania LGBT”, que questiona os motivos pelos quais a CBF não utiliza a numeração na camisa em torneios oficiais. A “ação de justificação com pedido de explicações” foi repassada na 10ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, no domingo (27). A CBF ainda não se manifestou sobre o caso.

A associação fez cinco questionamentos e pede repostas da CBF em até 48h:
“- A não inclusão do número 24 no uniforme oficial nas competições constitui uma política deliberada da interpelada?
– Em caso negativo, qual o motivo da não inclusão do número 24 no uniforme oficial da interpelada?
– Qual o departamento dentro da interpelada que é responsável pela deliberação dos números no uniforme oficial da seleção?
– Quais as pessoas e funcionários da interpelada, que integram este departamento que delibera sobre a definição de números no uniforme oficial?
– Existe alguma orientação da FIFA ou da CONMEBOL sobre o registro de jogadores com o número 24 na camisa?”
A rodada do Campeonato Brasileiro foi marcada por ações contra a homofobia. Vasco, Fluminense e Flamengo entraram em campo com referência à luta pela causa. Outras equipes também fizeram suas ações no Dia do Orgulho LGBTQIA+.

Posts Relaciondos