Justiça interrompe tramitações da Operação Maus Caminhos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Ana Paula Serizawa,  juíza da 4ª Vara Federal do Amazonas, suspendeu, neste último  sábado, 01/05, a tramitação de todas as ações penais originadas da Operação Maus Caminhos até que o TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), em Brasília, decida o juízo competente para processá-las e julgá-las.

Esta medida foi adotada após outros implicados na operação, entre eles Sérgio Bringel, Lino Chíxaro, André Becil e Isaac Ezaguy, pedirem a extensão da decisão do TRF1 que mandou para a Justiça estadual uma ação penal contra o ex-governador José Melo e ex-secretários estaduais, em dezembro de 2020.

A juíza explicou que a decisão do TRF1 que declarou a Justiça federal incompetente faz referência apenas à ação penal contra o ex-governador e os ex-secretários. Essa denúncia é oriunda dos trabalhos de investigação da Operação Custo Político, o primeiro desdobramento da ‘Maus Caminhos’.

Porém, com os diversos pedidos de extensão do benefício, a magistrada decidiu aguardar o posicionamento do TRF1. “Isto posto, determino a suspensão da tramitação dos autos até o pronunciamento do TRF-1 sobre a extensão dos efeitos do acórdão proferido nos autos do habeas corpus”, disse a juíza.

O impasse sobre a competência da Justiça federal na ‘Maus Caminhos’ apenas atrasa o julgamento da questão principal: os crimes apontados pelo MPF (Ministério Público Federal). O órgão apresentou 76 ações penais e 40 de ações de improbidade administrativa contra implicados.

Posts Relaciondos